terça-feira, 29 de novembro de 2011

Psiquiatria e Cinema

A Psiquiatria é uma área muito retratada no cinema. Alguns filmes são muito conhecidos, como "Um estranho no ninho", mas alguns outros, não tão conhecidos, nos trazem muitos ensinamentos que vale a pena conferir. Aqui damos algumas sugestões:

Baixar Filmes Download   Freud Além da Alma (Legendado) Grátis
Tamanho: 404Mb
Gênero: Drama
Formato: Rmvb
Qualidade:
Dvdrip
Audio: Inglês
Legenda: Embutida
Ano de Lançamento: 1962

Sinopse:
Freud (Montgomery Clift) tornou-se o maior psicanalista de todos os tempos ao começar a tratar pacientes que outros médicos se recusavam a aceitar. Para eles, se tratava de fingimento, mas Freud começou a estudar a hipnose, aplicando em seus pacientes.
Em "Freud - Além da alma" (1962), John Huston pretende mostrar como as teorias freudianas esboçam a própria vida de um dos maiores gênios da Humanidade. Ansioso em obter respostas plausíveis para aplacar o sofrimento de seus pacientes, Freud enveredou-se à doutrina de Charcot e utilizou-se da hipnose em seus estudos sobre histeria. Com um elenco notável encabeçado por Montgomery Clift, Susannah York, Larry Parks e David McCallum, "Freud - Além da alma" é um filme acadêmico, inteligente e instigante, que nos permite uma melhor compreensão das teorias freudianas sobre o funcionamento do inconsciente humano e da irrupção do pensamento psicanalítico na sociedade vienense e, depois, no mundo.

Baixar Filmes Download   Um Estranho no Ninho (Legendado) Grátis


Tamanho: 477Mb
Gênero: Drama
Formato: Rmvb
Qualidade:
Dvdrip
Audio: Inglês
Legenda: Embutida
Ano de Lançamento: 1975
Sinopse:
Randle Patrick McMurphy (Jack Nicholson), um prisioneiro, simula estar insano para não trabalhar e vai para uma instituição para doentes mentais, onde estimula os internos a se revoltarem contra as rígidas normas impostas pela enfermeira-chefe Ratched (Louise Fletcher). Mas ele não tem idéia do preço que irá pagar por desafiar uma clínica “especializada”.
O enredo retrata o sanatório, o uso de drogas, os eletrochoques e a lobotomia como métodos de repressão do livre arbítrio humano. Retrata a teoria de antipsiquiatria. A história é conduzida de modo apoiar os internos, ao invés de seus guardiões. Deste modo o filme demonstrou as atrocidades passadas pelos “loucos” em um sanatório, como o eletrochoque e a lobotomia e reforçou a tese de que estes procedimentos não eram corretos, e não surtiam efeito, levando-os ao desuso por serem consideradas “ferramentas politicamente incorretas".


Em Paris, em 1885, a jovem escultora Camille Claudel entra em conflito com sua família burguesa ao tornar-se aprendiz e, depois, assistente do famoso Auguste Rodin. Quando ela se transforma em amante do mestre (que já era casado), cai em desgraça junto à sociedade parisiense, embora tenha amigos do porte do compositor Claude Debussy. Depois de quinze anos de tortuoso relacionamento com Rodin, Camille rompe o romance e mergulha cada vez mais na solidão e na loucura. Por iniciativa de seu irmão mais novo, o escritor Paul Claudel, é internada em 1912 num manicômio.

Uma Mente Brilhante - Cartaz 
Título original: (A Beautiful Mind)
Lançamento: 2001 (EUA)
Direção: Ron Howard
Atores: Russell Crowe, Ed Harris, Jennifer Connelly, Paul Bettany.
Duração: 135 min
Gênero: Drama
John Nash (Russell Crowe) é um gênio da matemática que, aos 21 anos, formulou um teorema que provou sua genialidade e o tornou aclamado no meio onde atuava. Mas aos poucos o belo e arrogante John Nash se transforma em um sofrido e atormentado homem, que chega até mesmo a ser diagnosticado como esquizofrênico pelos médicos que o tratam. Porém, após anos de luta para se recuperar, ele consegue retornar à sociedade e acaba sendo premiado com o Nobel.

 
Richard Gere, Lena Olin e Anne Bancroft estrelam esta emocionante história sobre um homem á beira da autodestruição que é salvo pelo amor. Gere é um show de interpretação como Mr. Jones, um maníaco depressivo que, durante suas crises emocionais, é divertido, criativo e envolvente. Chocando a platéia esnobe de uma orquestra subindo ao palco para reger uma sinfonia de Beethoven, ou impulsivamente tomando uma caixa de banco e uma fuga romântica, Mr. Jones é um homem irresistível para qualquer mulher, incluindo a Dra. Libbie Bowen (Olin), a preocupa terapeuta designada para seu caso.

Melhor É Impossível - Cartaz
Título original: (As Good As It Gets)
Lançamento: 1997 (EUA)
Direção: James L. Brooks
Atores: Jack Nicholson, Helen Hunt, Greg Kinnear, Cuba Gooding Jr..
Duração: 138 min
Gênero: Comédia
Em Nova York, um escritor grosseiro e sarcástico (Jack Nicholson) tem como alvos principais um artista gay (Greg Kinnear), que é seu vizinho, e uma garçonete (Helen Hunt) que enfrenta problemas por ser mãe solteira e ter que se desdobrar para cuidar de seu filho, que tem asma crônica. Mas o destino vai fazer com que eles fiquem muito mais próximos do que poderiam imaginar.

A Cela - Cartaz

Título original: (The Cell)
Lançamento: 2000 (EUA)
Direção: Tarsem Singh
Atores: Jennifer Lopez, Vincent D'Onofrio, Vince Vaughn, Marianne Jean-Baptiste.
Duração: 107 min
Gênero: Suspense
Dentro dos confins de uma fazenda abandonada, Carl Stargher (Vincent D'Onofrio), um assassino cruel e psicologicamente instável, construiu "A Cela", uma câmara para onde ele leva suas jovens e inocentes vítimas, antes de dar início a um sádico ritual pós-morte com seus corpos. Quando o FBI finalmente consegue capturar Stargher, ele sofre um violento ataque apoplético e entra em coma, sem dar nenhuma pista sobre a localização da Cela. Com uma jovem presa na câmara e tendo apenas mais 40 horas de vida, o FBI decide então procurar a Dra. Catherine Deane (Jennifer Lopez), uma terapeuta infantil que utiliza um avançado estudo neurológico que, misturado com habilidades empáticas e tecnologia de ponta, permite que alguém entre na mente de pessoas catatônicas, no intuito de ajudá-las a voltar realidade. Com a vida de uma jovem em perigo, Catherine concorda em usar o avançado método no próprio Carl Stargher, no intuito de descobrir qual a localização da Cela, com a própria terapeuta entrando na mente do assassino.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Expectativa de vida em pacientes com câncer

22/11/2011 - 16h16

Pesquisa mostra expectativa de vida para diferentes tipos de câncer

DA BBC BRASIL

A média de sobrevivência de pacientes com câncer na Inglaterra e no País de Gales aumentou de um ano para quase seis anos nas últimas quatro décadas.
Mas o mesmo estudo, feita pela instituição beneficente Macmillan Cancer Support, constatou uma "lamentável" falta de progresso em alguns tipos de câncer, como os de pulmão e estômago.
Com base em pesquisas feitas pela London School of Hygiene and Tropical Medicine, a equipe da Macmillan analisou índices de sobrevivência e tempo de sobrevida de pacientes com 20 tipos de câncer durante 40 anos.
O estudo usou como referência para sobrevivência marcos como um, cinco ou dez anos após o diagnóstico --como tempo médio de sobrevivência, considerou-se o tempo levado até a morte de metade dos diagnosticados.
A diretora executiva da Macmillan, Ciaran Devane, disse que o estudo representa um grande avanço. "Tempos médios de sobrevivência dão uma ideia nova e precisa de quanto tempo as pessoas podem esperar viver com cânceres diferentes."
CÂNCER DO CÓLON
Os números mostram uma melhoria na média total de sobrevivência, de um ano em pacientes diagnosticados entre 1971-1972 a quase seis anos para pacientes diagnosticados 40 anos mais tarde.
Seis dos cânceres estudados hoje apresentam médias de sobrevivência de mais de dez anos.
A maior melhoria foi verificada em cânceres do cólon: o tempo de sobrevida aumentou 17 vezes. Em linfomas não Hodgkin --o mesmo diagnosticado no ator Reynaldo Gianecchini--, a sobrevida aumentou dez vezes.
A inglesa Dena Hutchings, da cidade de Sheffield, foi diagnosticada com um linfoma há cinco anos. A quimioterapia acelerou sua entrada na menopausa, mas ainda assim ela se considera afortunada.
"Poderia ter sido um caso pior de câncer, mas, felizmente para mim, era um linfoma. É um dos cânceres mais fáceis de tratar e curar", disse.
Os resultados do estudo mostram, no entanto, que para nove tipos de câncer, a média de sobrevida ainda é de três anos ou menos.
Nas últimas quatro décadas, houve pouca melhoria na sobrevida de pacientes com canceres do pulmão, cérebro e pâncreas.
O inglês Adrian Antwis tem 40 anos e também é de Sheffield, no norte da Inglaterra. No primeiro semestre desse ano, foi diagnosticado com câncer de pulmão.
O médico disse a Antwis que ele tem apenas alguns meses de vida. Ele espera que as imensas variações nos índices de sobrevida reveladas pelo estudo ajam como um incentivo a pesquisas para tratamentos efetivos para cânceres como o dele.
"Eu enfrentaria meses e meses de tratamento se soubesse que havia uma chance. Mas não há tratamento, então é algo que você tem de aceitar."
PROBLEMAS CRÔNICOS
A Macmillan Cancer Support diz que o fato de pacientes com câncer estarem sobrevivendo mais tempo é positivo, mas ressalta que muitos estão sofrendo de problemas crônicos de saúde, em grande parte, associados ao tratamento.
Entre os problemas estão fadiga, infertilidade e danos aos pulmões e coração. Alguns sobreviventes de câncer também precisam de apoio psicológico.

http://www1.folha.uol.com.br/bbc/1010242-pesquisa-mostra-expectativa-de-vida-para-diferentes-tipos-de-cancer.shtml

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Mortalidade nos jovens brasileiros

Dividindo a população em dois grandes grupos: os jovens – 15 a 24 anos – e os não jovens – 0 a 14 e 25 e mais anos, na população não jovem, só 9,9% do total de óbitos são atribuíveis a causas externas. Já entre os jovens, as causas externas são responsáveis por 73,6% das mortes. Se na população não jovem só 1,8% dos óbitos são causados por homicídios, entre os jovens, os homicídios são responsáveis por 39,7% das mortes. Mas essas são as médias nacionais. Em alguns estados, como Alagoas, Bahia, Pernambuco, Espírito Santo e Distrito Federal, mais da metade das mortes de jovens foi provocada por homicídio. Além dessas mortes, acidentes de transporte são responsáveis por mais 19,3% dos óbitos juvenis, e suicídios adicionam ainda 3,9%. Em conjunto, essas três causas são responsáveis por quase 2/3 (62,8%) das mortes dos jovens brasileiros.

Indíos X Suicídio

Conforme dados da Fundação Nacional do Índio (Funai), existem aproximadamente 400 mil índios residindo em aldeias no Brasil, correspondendo a 0,25% da população brasileira. Segundo a mesma instituição, a população indígena no Brasil é maior, pois esses números não incluem os índios que residem em locais fora de aldeias – estima-se que esses somam cerca de 100 mil.
No ano de 2008, foram registrados pelo SIM exatamente 100 suicídios indígenas. Isso já daria uma taxa nacional de 20 suicídios a cada 100 mil índios, isto é, quatro vezes acima da média nacional (4,9 suicídios em 100 mil). Mas, a distribuição geográfica é extremamente desigual. Segundo a mesma fonte, só 12 das 27 UFs registraram suicídios indígenas em 2009. Dentre eles, com mais de 1 suicídio, destacam-se:
Mato Grosso do Sul ...........54
Amazonas ...........................27
Roraima ............................... 9
Assim, Mato Grosso do Sul e Amazonas concentravam 81% do total nacional de suicídios indígenas. Segundo dados da Funai, o Amazonas contava com 83.966 indígenas, pelo que sua taxa de suicídios específica para essa população seria de 32,2 em 100 mil. Já para o Mato Grosso do Sul, que contava com 32.519 indígenas, a taxa de suicídios seria de 166,1 a cada 100 mil indígenas.
São Paulo ............................. 2Entre os jovens, podemos estimar para o Amazonas uma taxa de 101 suicidas para 100 mil jovens (registraram-se 17 suicídios jovenis em 2008) e de 446 para Mato Grosso do Sul, que registrou 29 suicídios juvenis nesse ano.
Maiores informações:
http://www.sangari.com/mapadaviolencia/pdf2011/MapaViolencia2011.pdf