quarta-feira, 20 de junho de 2012

DENGUE: EPIDEMIA

RIO DE JANEIRO: A Secretaria municipal de Saúde anunciou, na tarde desta terça-feira (24), que o Rio registra epidemia de dengue. Isso significa que a cidade entrou num estágio em que há mais de 300 casos da doença por cada grupo de 100 mil habitantes e esse número é crescente. Do dia 1º de janeiro até 21 de abril de 2012, foram registrados 50.016 casos e 12 mortes pela doença na cidade.

PIAUÍ: A Coordenação de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde divulgou, nesta sexta-feira (15), novos dados da dengue no Piauí. Até hoje, o Estado registrou 9.983 casos da doença. O número representa uma queda de 6,8% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram contabilizadas 10.707 notificações.
Entre as cidades mais afetadas pela doença, Teresina segue como as que mais registraram casos. São 5.580 notificações. Piripiri vem em segundo com 456 casos, seguido de Parnaíba com 301 notificações. Ainda de acordo com o boletim, o Piauí registra quatro óbitos por conta da dengue. Dois em Teresina, um em União e outro em Floriano.


terça-feira, 19 de junho de 2012

Acidentes de trabalho com mototaxistas


Acidentes de trabalho com mototaxistas


Rev. bras. epidemiol. vol.15 no.1 São Paulo Mar. 2012

http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2012000100003 


Camila Rego AmorimI; Edna Maria de AraújoII; Tânia Maria de AraújoIII; Nelson Fernandes de OliveiraII



RESUMO
A utilização da motocicleta como meio de trabalho vem contribuindo para o aumento no número dos acidentes de trânsito e se constituindo em acidentes de trabalho para os mototaxistas. O objetivo deste estudo foi estimar a incidência anual de acidentes de trabalho entre mototaxistas cadastrados em Feira de Santana, BA. Trata-se de um estudo de caráter descritivo e censitário. Foram entrevistados 267 profissionais dos 300 cadastrados na Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito - SMTT, através de questionário estruturado. Procedeu-se à análise descritiva e foram estimadas incidências anuais de acidentes de trabalho segundo as variáveis de interesse. Calcularam-se os riscos relativos e, como medida de significância estatística, utilizou-se o teste de qui-quadrado de Pearson e o teste exato de Fisher, adotando-se p < 0,05. Utilizou-se a regressão logística no intuito de realizar a análise simultânea das variáveis estudadas. Observou-se uma incidência anual de acidentes de trabalho de 10,5%. Ocorreram lesões leves, principalmente ferimentos (48,7%), sendo necessário afastamento das atividades laborais para 27% dos profissionais. Na análise de regressão logística verificou-se associação entre quantidade de dias de trabalho por semana, presença de fadiga em membros inferiores e queixa musculoesquelética e os acidentes de trabalho. O conhecimento acerca das condições de trabalho e dos acidentes envolvidos nessa atividade pode ser de grande importância para a adoção de políticas de educação no trânsito, com vistas à prevenção de acidentes e melhoria das condições de trabalho e de vida desses profissionais.
Palavras-chaves: Saúde do trabalhador. Condições de trabalho. Acidentes de trabalho. Acidentes de trânsito. Riscos ocupacionais. Epidemiologia.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Filme "Contágio"

O filme "Contágio" aborda o rápido progresso de um vírus letal, transmissível pelo ar, que mata em poucos dias. É uma epidemia se espalha rapidamente e a comunidade médica mundial inicia uma corrida para encontrar a cura e controlar o pânico que se espalha mais rápido do que o próprio vírus. A sociedade luta para sobreviver.



segunda-feira, 11 de junho de 2012

Afogamento - Perfil epidemiológico no Brasil


Afogamento - Perfil epidemiológico no Brasil - Ano 2012
Elaborado pela Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático – Sobrasa <www.sobrasa.org>
Autor: Dr David Szpilman (*) Médico, especialista em afogamento e terapia intensiva.

Em 2009, o afogamento foi:
a 2ª causa geral de óbito entre 1 e 9 anos,
a 3ª causa nas faixas de 10 a 19 anos,
a 4ª na faixa de 20 a 24,
a 6ª entre 25 e 29 anos, e
7.152 brasileiros (3.7/100.000 hab) morreram afogados.

INTRODUÇÃO
O trauma diferentemente de outras doenças ocorre inesperadamente na grande maioria das vezes, o
que gera invariavelmente uma situação caótica dentro do âmbito familiar. Dentre os diferentes tipos de
traumas, o de maior impacto é sem dúvida o “Afogamento”. Situações de catástrofe familiar podem ser
observadas quando famílias inteiras se afogam juntos, por desconhecimento, ou pela tentativa infrutífera de
salvar uns aos outros.
Para ler o artigo na íntegra, acesse: http://www.sobrasa.org/biblioteca/obitos_2009/Perfil%20epidemiol%C3%B3gico%20do%20afogamento%20no%20Brasil%20-%20Ano%202012.pdf.